Custo de produção, colheita e transporte de madeira de eucalipto proveniente do Programa Produtor Florestal no sul do Espírito Santo

Custo de produção, colheita e transporte de madeira de eucalipto proveniente do Programa Produtor Florestal no sul do Espírito Santo

Por: André Luiz Pinheiro da Silva.
Orientador: José Franklim Chichorro.
Defendida em: 26/11/2012.

Resumo:

Com a finalidade de analisar a atividade de produção de madeira proveniente do Programa Produtor Florestal como alternativa econômica de investimento, foram coletados dados de custos de implantação de povoamentos de eucalipto, bem como os custos referentes à colheita e ao transporte. Os dados referentes às atividades e os respectivos custos das fases compreendidas na produção, além dos preços pagos por metro cúbico de madeira no ano de 2011, foram obtidos junto à empresa Fibria S.A., fomentadora de projetos. Os dados dos custos de colheita e transporte foram obtidos por meio de aplicação de questionários em seis propriedades em fase de colheita nos municípios de Alegre, Divino de São Lourenço e Jerônimo Monteiro, no estado do Espírito Santo. Foram obtidos dados de área plantada, custo das fases compreendidas no processo de colheita e no processo de transporte da área de produção até o pátio de estocagem de madeira da Fibria S.A., localizado no município de Cachoeiro de Itapemirim, ES, além da produtividade média por hectare e o preço médio pago pelo metro cúbico de madeira de eucalipto proveniente do Programa Produtor Florestal no ano de 2011. A avaliação dos dados compreendeu na análise, separadamente, dos custos referentes ao processo de produção, colheita e transporte e sua participação no custo total da atividade, e o cálculo dos índices econômicos da atividade. Os custos com maior participação no processo de produção foram custo da terra (34,92%), implantação (23,33%), transporte (21,09%) e colheita (20,65%). Ao preço da madeira do fomento praticado pela empresa, o investimento em reflorestamento, de acordo com os índices econômicos calculados, mostrou-se como uma alternativa viável economicamente, aos produtores.