Qualidade das madeiras de acácia e eucalipto provenientes de cultivo misto visando a produção de celulose

Qualidade das madeiras de acácia e eucalipto provenientes de cultivo misto visando a produção de celulose

Por: Gilson Barbosa São Teago.
Orientador: José Tarcísio da Silva Oliveira.
Defendida em: 31/08/2012.

Resumo:

O setor de papel e celulose possui grande importância no cenário brasileiro e suas principais fontes de matéria prima são as florestas de eucalipto e pinus. Portanto, é estratégico a investigação de matérias-primas alternativas que possam no futuro compor misturas com o eucalipto ou até mesmo substituí-lo. A Acacia mangium vem sendo utilizada com bom rendimento e qualidade de polpa e poderá ser alternativa em plantios simples ou mistos. Contudo, a literatura carece de estudos sobre a influência dos cultivos mistos nas propriedades das madeiras. Desta forma, o presente estudo teve como objetivo avaliar as propriedades das madeiras de A. mangium e de um híbrido de eucalipto, com seis anos de idade, plantados em monocultivo, com e sem fertilização nitrogenada, e em diferentes proporções de cultivo misto na região do Vale do Rio Doce, Minas Gerais. Avaliou-se a variabilidade longitudinal da massa específica básica e dos teores de casca, cerne e alburno, a variabilidade radial de vasos e fibras em três posições no DAP e composição química no DAP. Para a madeira de A. mangium os resultados indicaram tendência de elevação no teor de alburno com o aumento da proporção de A. mangium no plantio misto; maiores teores de casca na base e no topo; maiores valores de massa específica básica na base do tronco, diminuindo até 25% da altura comercial e permanecendo constantes até o topo; massa específica básica da árvore não sendo influenciada pelos tratamentos; para as propriedades químicas, apenas a lignina solúvel foi influenciada pelos tratamentos; vasos de tamanho médio, pouco numerosos e com diâmetro aumentando no sentido medula-casca; fibras com paredes delgadas e comprimento variando de muito curto a curto, o comprimento e espessura da parede aumentaram no sentido medula-casca, ao contrário da largura e do diâmetro do lume; menores comprimentos de fibra e maior heterogeneidade das dimensões perpendiculares foram observados no monocultivo. Para a madeira do híbrido de eucalipto os resultados indicam teores de casca decrescendo da base até a metade do fuste e voltando a crescer até o topo; maiores valores de massa específica básica por árvore nos tratamentos em plantio simples e variação longitudinal desta propriedade sem padrão definido; tendência de ocorrerem maiores teores de lignina e menores de extrativos nos tratamentos em cultivo simples; vasos pequenos e pouco numerosos com menores diâmetros de vaso nos tratamentos em monocultivo e aumento do diâmetro dos vasos no sentido medula-casca; fibras com paredes espessas e comprimentos variando de muito curto a curto, o comprimento, a largura e a espessura da parede das fibras aumentaram no sentido medula-casca..