Qualidade e eficiência do tratamento preservativo de duas espécies de bambu

Qualidade e eficiência do tratamento preservativo de duas espécies de bambu

Por: Rogy Frigeri Tiburtino.
Orientador: Juarez Benigno Paes.
Defendida em: 06/11/2012.

Resumo:

Por causa do alto custo para obter um produto de madeira proveniente de uma espécie arbórea nativa no Brasil, o uso de materiais alternativos, que seja de fontes renováveis e que possa substituir estas espécies vem ganhando espaço no mercado nacional, e o bambu se destaca nesse novo cenário. Este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade e a eficiência do tratamento preservativo de duas espécies de bambu (Dendrocalamus giganteus e Bambusa vulgaris) pelo emprego de três métodos de tratamento: transpiração (diafragma íntegro e diafragma rompido), imersão prolongada e Boucherie modificado. Para tanto, foram coletadas hastes de touceiras do sul do Estado do Espírito Santo. As hastes foram transformadas em colmos de 2,0 m de comprimento e tratadas em solução de 1 e 3% de ingredientes ativos (i.a.) do produto comercial “MOQ OX 50”, à base de cobre, cromo e boro (CCB). Nos métodos por transpiração e imersão prolongada os colmos foram expostos nas soluções por períodos de 5, 10 e 15 dias, já no método de Boucherie modificado não houve divisão do tratamento entre os tempos. O período entre o corte e o tratamento foi inferior a 24 h. Foi avaliada a qualidade do tratamento por meio da penetração do CCB em três posições nos colmos; 0,5 m (base), 1,0 m (meio) e 1,90 m (topo) e pela retenção de i.a. na posição da base. A eficiência dos tratamentos foi analisada por meio da resistência dos bambus tratados aos ensaios com os fungos (Postia placenta e Polyporus fumosus), com o térmita subterrâneo (Nasutiternes sp.) e com coleópteros (Dinoderus minutus). A partir dos resultados obtidos foi observado que, em média, houve uma maior penetração de i.a. na base dos colmos, que a retenção foi abaixo da recomendada pelas normas brasileiras para madeira, e para ambas as espécies de bambu tratadas a perda de massa quando submetidos ao ataque dos fungos, cupim e coleópteros foi baixa. Dentre os tratamentos, a aplicação do método de transpiração com o diafragma rompido em concentração de 3% de i.a. e com duração de 15 dias conferiu, para as duas espécies, as maiores médias de penetração e retenção, bem como menores valores de perda de massa nos ensaios biológicos.