Substratos renováveis na produção de mudas de Tectona grandis Linn. F.

Substratos renováveis na produção de mudas de Tectona grandis Linn. F.

Por: Paulo André Trazzi.
Orientador: Marcos Vinicius Winckler Caldeira.
Defendida em: 25/02/2011.

Resumo:

Os resíduos industriais, urbanos ou agro-industriais podem ser utilizados como fonte de nutrientes visando contribuir para a redução dos custos de produção de mudas florestais. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a utilização de biossólido e estercos de animais como componente de substrato na produção de mudas de Tectona grandis. As mudas foram produzidas em tubetes com capacidade volumétrica de 280 cm³, preenchidos com dois grupos de resíduos e constituindo dois estudos. O primeiro constituiu em formular substratos com biossólido (BIO) associado à casca de arroz carbonizada (CAC) ou à fibra de coco triturada (FC) nas proporções 80:20, 60:40, 40:60, 20:80 (v:v), e também com 100% de BIO, formando nove tratamentos a base de BIO submetidos à comparação do tratamento com o substrato comercial florestal. O segundo estudo se caracterizou por utilizar proporções (v:v:v) de 15, 25 ou 35% de esterco bovino (EB), cama de frango (CF) ou esterco de codorna (EC) associados à terra de subsolo (60, 50 ou 40%, respectivamente) e à 25% de substrato comercial florestal (volume fixo), formando um conjunto de nove tratamentos que foram comparados ao tratamento com substrato comercial florestal. Os substratos formados destes tratamentos foram submetidos às análises químicas e físicas. As mudas foram submetidas à avaliação de características morfológicas noventa dias após a repicagem. Para avaliar nutricionalmente as mudas, a parte aérea foi submetida à analise química. Os resultados da análise física mostraram que a CAC ou a FC associada ao BIO proporcionaram aumento no volume total de poros (VTP) e redução da densidade aparente (DENS). A CAC promoveu aumento na macroporosidade (MAC), enquanto que a FC aumento na microporosidade (MIC). A utilização de estercos de animais proporcionou aumento no VTP, na MAC e na MIC e uma diminuição na DENS. Para as análises químicas, os substratos formulados com BIO apresentaram altos teores totais e disponíveis de nutrientes. Os estercos de animais promoveram incremento nos teores totais e disponíveis dos substratos, principalmente P e K. Considerando os teores e acúmulos de nutrientes, os maiores foram obtidos no tratamento com 80% de BIO + 20% de CAC, para os tratamentos com biossólido. Para o estudo com estercos de animais, o maior acúmulo de nutrientes foi observado no tratamento com 35% de CF. O BIO com 60 e 80% associado à CAC ou a FC promoveu os maiores ganhos em altura, diâmetro, massa seca da parte aérea e radicular, no experimento com biossólido. As mudas produzidas com estercos de animais apresentaram maiores índices biométricos nos substratos formulados com CF. A utilização de substratos renováveis contribuiu na melhoria das características físicas e químicas dos substratos formados e conseqüentemente na nutrição das mudas e por isso pode ser indicada para produção de mudas florestais.